Livro “Miguel Burnier – Marcas Históricas”

Apresentação da obra

O livro “Miguel Burnier- Marcas Históricas” (2012), organizado pelos arqueólogos Alenice Baeta e Henrique Piló, traz vários capítulos de suas autorias, como também de colegas e colaboradores de longa data.

Aborda ao londo de 11 capítulos aspectos não muito comuns quando se trata sobre o patrimônio cultural de Ouro Preto, muito voltado ao seu excepcional acervo arquitetônico e barroco. Este livro busca dar ênfase a temas diferenciados e de pouca visibilidade neste município, tratando sobre a pré-história regional (discutindo ainda a utilização do minério de ferro e de suas paisagens ferruginosas), a história indígena, resgatando a história do Distrito de São Julião (hoje Miguel Burnier) nos períodos Joanino e Monárquico, a história da siderurgia e do trabalho (focalizando a Usina Wigg), aproveitando ainda a data do bicentenário da corrida do ferro industrial no Brasil. Por último, é tratado o acervo arquitetônico civil (incluindo a antiga e abandonada vila operária e industrial) e o patrimônio imaterial, através das festas religiosas tradicionais de Miguel Burnier.

 

 

SUMÁRIO

APRESENTAÇÃO

Gerdau

5 Apresentação

 

 

INTRODUÇAO

Organizadores

Alenice Baeta e Henrique Piló

8 Introdução –Tecendo Histórias sobre

Miguel Burnier

 

 

CAPÍTULO 01

Ulisses Cyrino Penha

12 Miguel Burnier:

geologia e paisagens

 

CAPÍTULO 02

Alenice Baeta e Henrique Piló

28 A utilização de minerais de ferro

no período pré-colonial

 

CAPÍTULO 03

Alenice Baeta

40 “Índios daqui, índios de lá” – resistência

e história indígena nas terras de Vila Rica

 

CAPÍTULO 04

Marcus Duque Neves

58 O rodeadouro da Itatiaia:

dos bandeirantes aos inconfidentes

 

CAPÍTULO 05

Marcus Duque, Henrique Piló e Alenice Baeta

80 Serra do Ouro Branco, Rodeio e São Julião: caminhos, percursos e divisas

 

CAPÍTULO 06

Marcus Duque Neves

98 O Distrito de São Julião

nos períodos joanino e monárquico

 

CAPÍTULO 07

Marcus Duque Neves

120 A Usina Wigg

 

CAPÍTULO 08

Henrique Piló, Emile Albert Scharlé e Alenice Baeta

150 Arqueologia Industrial e Usina Wigg:

A Evolução da Siderurgia no Brasil

 

CAPÍTULO 09

Maria Cristina Cairo

170 O legado arquitetônico de Miguel Burnier:

acervo urbano e rural

 

CAPÍTULO 10

Guilherme Ataídes

198 O patrimônio religioso

de Miguel Burnier

 

CAPÍTULO 11

Sandra Fosque

224 Patrimônio imaterial de Miguel Burnier:

festas, bandas, celebrações e sonhos

 

GLOSSÁRIO

 

236 Glossário

 

 

AUTORES

 

244 Sobre os autores

 

 

 

Como exposto, assunto muito periférico, lamentavelmente em Ouro Preto e Minas Gerais, foi apresentado um capítulo sobre a história indígena e sua imbricação com o processo de colonização, expansão de fronteiras e  explotação mineral nos centros auríferos das minas.

Um dos capítulos trata sobre a história da siderurgia em Minas Gerais e no Brasil, abordando a trajetória tecnológica e a arqueologia industrial da Usina Wigg.

O tema Arqueologia Industrial em Minas Gerais merece mais destaque em linas de pesquisa e o acervo industral mais atenção por parte dos órgãos patrimoniais.

Posted in Livros and tagged , , .