Gerdau realiza entrega da nova sede do Monumento da Serra da Moeda

A Gerdau acaba de entregar ao Instituto Estadual de Florestas (IEF) a nova sede do Monumento Natural da Serra da Moeda, organização voltada para a preservação e conservação da biodiversidade do local.

A cerimônia de doação foi realizada no último dia 23, no novo escritório, localizado no KM 574 da BR 040, região pertencente ao município de Itabirito.

A concessão foi realizada em regime de comodato. O escritório, onde antes funcionava o posto da Receita Estadual, foi reformado e também recebeu novo mobiliário e equipamentos eletrônicos.

A Empresa foi responsável ainda pela entrega de dois carros ao Monumento, que já estão sendo utilizados pela equipe da organização.

De acordo com o diretor executivo da Gerdau Mining Americas, Marcus Rocha Duarte, parcerias como essa são de extrema importância para o desenvolvimento sustentável tanto das comunidades, quanto dos projetos e iniciativas beneficiados.

“Mais uma vez, por meio da sinergia entre a Gerdau e o Ministério Público, concretizamos essa importante doação.

O Monumento Natural da Serra da Moeda, gerido pelo IEF, conta agora com mais recursos e toda infraestrutura necessária para o desenvolvimento desse importante trabalho de preservação da Serra da Moeda”, ressalta.

Para o diretor de áreas protegidas do IEF, Henri Dubois Collet, a nova sede permite uma proximidade maior com o turista e também proporciona mais agilidade aos trabalhos desenvolvidos pela entidade.

“O antigo escritório estava a 16 quilômetros da Serra da Moeda, agora ficaremos no mesmo território. Dessa forma, podemos atender o turista que passa pela BR 040, tirando dúvidas e repassando orientações.

Além disso, diante de um incêndio, por exemplo, teremos condições de atuar de forma imediata”, afirma.

Livro

Recentemente, a Gerdau apoiou o lançamento do livro “Serra da Moeda: Patrimônio e História”, outra iniciativa em prol da valorização do patrimônio arqueológico, espeleológico e ambiental da região.

Por meio de textos e imagens, a obra apresenta memórias de grupos que viveram ou ainda moram na região e também ressalta as facetas e riquezas patrimoniais do local.

O livro está sendo distribuído gratuitamente em universidades, escolas públicas da capital e do interior de Minas Gerais, em órgãos ambientais, organizações não governamentais ligadas ao tema, Ministério Público, setores da cultura, do patrimônio e do turismo do Estado.

A publicação foi organizada por Alenice Baeta e Henrique Piló, que também são autores ao lado de outros dez estudiosos da região.

Fonte: Site Jornal Tribuna Livre – Publicado em por

Posted in Artigos and tagged , , .